domingo, 24 de maio de 2015

Comunicação Social presente no Uniron do Bairro

Por: Alexandre Lúcio Fernandes


Nesse sábado, dia 23 de maio, aconteceu o Uniron no Bairro, projeto social idealizado pela Faculdade Uniron. Há mais de dez anos presente no calendário acadêmico, o evento foi realizado desta vez na Escola Eduardo Lima e Silva, localizado no bairro Nova Floresta, na Zona Sul da Capital. A cada seis meses, a instituição leva à comunidade escolar, atendimento jurídico, de saúde, oficinas pedagógicas, entre outras atividades gratuitas.

Vários cursos da Faculdade estiveram presente recepcionando os alunos da escola. Dentre eles, o curso de Comunicação Social também marcou presença. Nossos acadêmicos de Publicidade e Jornalismo apresentaram as profissões do ensino superior aos alunos do terceiro ano do ensino médio, ajudando-os a conhecerem um pouco mais as opções de graduação profissional. A programação contou com palestras dos acadêmicos sobre a maioria dos cursos de ensino superior ofertados no Brasil. Cursos voltados para a área de saúde, humanas e exatas, artes, comunicação, meio ambiente, administração e negócios, foram retratados e bem exemplificados por nossos graduandos em comunicação.

As apresentações encerraram com um teatro, abordando sobre a importância da escolha do aluno sobre a profissão a seguir. Foi bem dinâmica e interativa, e contou com participação dos alunos, que  saíram satisfeitos e com algumas dúvidas sanadas. O evento foi um sucesso!

Equipe de Comunicação Social. Dá esquerda para a direita: Juliana, Carine, Talline, Diógenes, Lorena, Bárbara, Mailson, Priscila, Alexandre Porto, Erlisson, Lívia, Prof. Júnior César e Alexandre Fernandes.

quarta-feira, 20 de maio de 2015

Movimentos Artísticos inspiram trabalhos acadêmicos

Por: Alexandre Lúcio Fernandes


Ao desenvolverem trabalhos inspirados nos movimentos artísticos, acadêmicos do 3º período de Publicidade da UNIRON tiveram suas capacidades inventivas estimuladas. Fruto de uma pesquisa para a disciplina de Estética e História da Arte, o objetivo da atividade prática consistiu em interpretar, desenvolver técnicas e mecanismos para aplicar na recriação de um produto, inspirado em uma das principais tendências artísticas. “(O trabalho) Estimulou os alunos a buscar o conhecimento em algo prático. Todos se dedicaram para mostrar uns aos outros suas respectivas artes. E através de uma dinâmica de apresentação em sala, cada aluno despertou certa curiosidade pelo trabalho do colega", relata a aluna Vanessa Duarte.
O século XX iniciou-se ampliando as conquistas e o progresso industrial adquiridas no século anterior. Os acontecimentos pertencentes ao período, além de afetarem drasticamente o comportamento sociopolítico, tornou-se campo fértil para a evolução e surgimento de vários novos conceitos e vertentes artísticas. Dentre elas podemos citar o Expressionismo, o Fauvismo, o Cubismo, o Futurismo, o Abstracionismo, o Dadaísmo, o Surrealismo, o pop-Art, Neoplasticismo dentre outras, que refletiam o pensamento perplexo do homem contemporâneo. Fonte: Infoescola.

Segundo a professora e designer gráfica Adriana Zanki, o trabalho proposto como avaliação parcial da disciplina deu liberdade aos alunos exercerem a criatividade. “Cada aluno ficou livre para escolher o movimento que iria inspirar o seu trabalho e a técnica que iria utilizar. Poderia ser colagem, pintura, desenho, escultura, uso do computador, enfim, o que o aluno quisesse. Os resultados foram bem diversos, como por exemplo, o jogo de damas em EVA e papel, inspirado no neoplasticismo, criado pela aluna Juliana, enquanto o aluno Iury fotografou e trabalhou digitalmente a foto realizando uma colagem de imagens e tipologia, inspirada no dadaísmo”, relata a professora.

A arte como forma de expressão, estimula a introspeção da alma em uma busca que permita ao homem criar uma relação entre si, para transbordar, fluir e compreender os sentimentos. Para os acadêmicos, esta prática de criação livre não somente estimula o aprendizado, mas aprimora seus olhares e suas emoções diante de si e do mundo. Na publicidade, esta sensibilidade contribui no desenvolvimento criativo que a área exige.


Vitória Maia, uma das acadêmicas, complementa essa importância com a escolha do surrealismo - e a técnica de colagem - como inspiração para o seu trabalho:

“A proposta do trabalho foi de que os alunos manifestassem a sua criatividade sobre um tema relacionado ao movimento artístico. A minha escolha foi o Surrealismo, pois foi um movimento significamente Influenciado pelas teses psicanalíticas de Freud,que mostram a importancia do inconsciente na criatividade do ser humano”.
  
A acadêmica Vanessa Duarte, que optou pelo surrealismo também, contou um pouco sobre o seu trabalho:


"Resolvi escolher o surrealismo, por me interessar pelo tema. O surrealismo desliza no universo da irrealidade, desprezando a realidade concreta. E optei por criar algo simples e que ao mesmo tempo saísse um pouco da realidade. O ponto central do meu trabalho foram as gotas de chuva colorida que caem sobre os prédios, dando um ar mais alegre e doce no cenário, fazendo contraste com o fundo, escuro e sóbrio."


O surrealismo sempre buscou expressar a ausência da racionalidade e as manifestações do subconsciente. Após a década de 30 se expandiu e inspirou outros movimentos. No Brasil, tornou-se uma vertente absorvida pelo modernismo. Fonte: Infoescola.

Cide Assunção, que trabalha com artes gráficas, escolheu o Pop-art, aliou os conceitos adquiridos com seu ofício profissional e fez uma obra muita bonita retratando um dos principais cartões postais e símbolos da cidade de Porto Velho, as Três Caixas D’água.


“Eu me inspirei no pop-art, na técnica de pintura pontilhismo e nos pontos turísticos de porto velho. Trabalho na área de artes gráficas e me identifiquei mais com esses temas. Sou arte-finalista e vi que era possível fazer algo interessante com o pontilhismo nas 3 Caixas d'Águas com a Maria fumaça em vetor."

O “pop art” apareceu em um momento histórico marcado pelo reerguimento das grandes sociedades industriais afetadas pelos efeitos da Segunda Guerra Mundial. Adotou os grandes centros urbanos norte-americanos e britânicos como o ambiente para que seus primeiros representantes tomassem de inspiração para criar as suas obras. Peças publicitárias, imagens de celebridades, logomarcas e quadrinhos são algumas dessas inspirações. Fonte: Brasilescola.
Para a professora, o resultado excedeu as expectativas e os objetivos foram alcançados com êxito. “A criação livre é importante para desenvolver a criação dirigida que a publicidade exige”, concluiu.

Confiram outros trabalhos:





segunda-feira, 11 de maio de 2015

Alunos de Comunicação da UNIRON classificados para o Intercom Norte 2015

Por: Alexandre Lúcio Fernandes



A 14º edição do Congresso de Ciências da Comunicação na Região Norte acontecerá entre os dias 28 a 30 de maio na Uninorte Laureate em Manaus. É um importante evento acadêmico da região, que visa estimular a produção científica entre alunos, recém-graduados, docentes, profissionais atuantes e pesquisadores da área de comunicação. E para manter a tradição, a Faculdade Uniron será muito bem representada este ano. Acadêmicos do curso de Comunicação Social tiveram seus trabalhos de pesquisa selecionados para apresentação no Intercom Norte 2015 e disputarão por vaga no Congresso Nacional, que acontece em setembro, no Rio de Janeiro. Este resultado é reflexo de muito trabalho das coordenações e de todo o corpo docente dos cursos de Comunicação Social que estimulam pesquisas, trabalhos práticos e interdisciplinares para o aprimoramento da aprendizagem.

Cinco trabalhos concorrem ao prêmio Expocom, que elege os melhores trabalhos acadêmicos da região. São eles:
  • A importância da pesquisa para o posicionamento de uma marca (Carol Matos);
  • Campanha Publicitária “A Felicidade Está No Sangue De Quem Doa” (Matheus Oliveira);
  • Dicas Cacheadas da Tayó: O Uso do Rádio para o posicionamento da marca (Ana Luiza Moreira);
  • Filme publicitário #Conecte-se à vida (Greiciele Stork);
  • Outdoor “A Felicidade Está No Sangue De Quem Doa.” (Collien Rodrigo);
A Expocom (Exposição de Pesquisa Experimental em Comunicação) é um evento que ocorre dentro do Congresso de Comunicação, realizado pela Sociedade Brasileira de Estudos Interdisciplinares da Comunicação (Intercom), para defesa de trabalhos e encontros de grupos de pesquisa. Oferece prêmios destinados aos melhores trabalhos experimentais exclusivamente produzidos por alunos de graduação no âmbito dos cursos de Comunicação Social e suas habilitações.
Além destes cinco trabalhos, dois artigos serão apresentados no Intercom Jr, na Divisão Temática “Estudos Interdisciplinares da Comunicação”:
  • A Sujeira Eleitoral nos Espaços Públicos: Uma Reflexão Sobre a Distribuição Imprópria do Material de Campanha (Alexandre Fernandes);  
  • A Presença da Mulher em Campanhas Presidenciais no Brasil (Juliana Nunes);
O Intercom Júnior (Jornada de Iniciação Científica em Comunicação) é um espaço acadêmico destinado a acolher os trabalhos elaborados nos cursos de graduação, seja em projetos de iniciação científica (PIBIC), laboratórios didáticos, trabalhos de campo ou oficinas experimentais e que tenham orientação de um professor da respectiva instituição.
Uma das coordenadoras do curso de Comunicação Social da Uniron, a profª Ms. Maria Ângela, estará presente também, apresentando um artigo na divisão temática “Publicidade e Propaganda”, reservada para trabalho de docentes e pesquisadores da área. Ela ressalta a importância do evento para os alunos, e a tradição da Faculdade, que acumula muitos prêmios ao longo das edições passadas

"A participação dos alunos neste congresso traz para eles, e para a faculdade, o reconhecimento não só local, mas também regional e nacional por meio dos prêmios recebidos pelo curso de Comunicação Social da Uniron no Intercom: desde 2009 foram 18 prêmios regionais e 03 nacionais. Essa aproximação do aluno ao mercado de trabalho tem sido sempre o objetivo do curso de publicidade, para que o aluno saiba atuar na comunicação com o público-alvo sendo capaz de articular as teorias com as estratégias de mercado. Em nossa última participação no Expocom, em Palmas/TO, dos cinco trabalhos apresentados trouxemos quatro prêmios regionais. Para este ano a expectativa é que os resultados sejam tão bons quanto este último. Além disso, temos três trabalhos em categorias que não concorrem a prêmios, mais uma forma de expor nossas produções científicas."


Oportunidade para crescimento e realização

O evento, que contará com a presença estimada de quinze alunos da Uniron, propiciará um importante aprendizado a todos eles, por ser uma experiência que contribuirá positivamente na caminhada profissional. Para os acadêmicos, a oportunidade de apresentar um trabalho em um congresso de pesquisa, representando a Uniron, é uma chance única para enriquecimento intelectual e acadêmico. O estímulo que um evento desse porte propicia para os alunos é imensamente satisfatório. Ao reunir pesquisadores e estudantes em um só lugar, permite-se o intercâmbio de ideias, discussões e conhecimentos.

Ana Luíza Moreira, uma das classificadas para o Expocom, aponta o quanto a vida acadêmica é repleta de experiências boas, como a positiva repercussão por um trabalho bem feito em sala. Apresentá-lo no Intercom, nas suas palavras, é muito significativo:

“Esta é sensação que eu e minha turma vivemos hoje, depois do sucesso de alguns trabalhos que produzimos, e depois de muito suor e parceria para a montagem dos papers. Não há experiência mais significativa. As expectativas são ótimas, estamos dividindo essa experiência com a correria que é estar no sétimo período e ter que produzir um trabalho de conclusão de curso. Apesar da correria, o Intercom tem nos ensinado diariamente o valor que existe por trás de levar a sério um simples trabalho de faculdade. No fim de 2015 sairemos da faculdade, e graças ao nosso esforço pessoal, ao corpo de professores, e a nossa coordenadora, vamos estrear da melhor forma imaginável no mercado profissional.”

Matheus Oliveira, do sétimo período, apresentará a Campanha completa “A Felicidade está no sangue de quem doa”, declarou sempre ter tido interesse em participar do Congresso, desde o primeiro período, mas sempre acontecia algum imprevisto. Esse ano ele não deixou a chance escapar:

"Esse ano foi um pouco diferente, por mais que eu esteja no 7º período e fazendo TCC 1, me senti desafiado a pegar um projeto grande como a campanha "A felicidade está no sangue de quem doa", e com ajuda e apoio de todos, fazer o paper, apresentar no Mata-Mata e levar [para o Intercom Norte] esse "filho" que nasceu do trabalho e esforço de cada um. Quando me envolvi neste projeto, percebi o grau de importância acadêmica e a experiência que iria adquirir. Estamos contando os dias para o evento e a expectativa de todos não poderia ser melhor, o apoio moral dos que não poderão ir também é um estimulo a mais para poder representar cada um deles no Intercom. É uma realização pessoal participar e ter os meu amigos neste momento torcendo por mim, e eu por eles."

Juliana Nunes de Oliveira, acadêmica do segundo período de Publicidade & Propaganda, uma das selecionadas para apresentação de artigo, conta sua expectativa em relação ao evento, sugerindo a possibilidade da Instituição estimular mais ainda o desenvolvimento de trabalhos com grupos de pesquisa:

“Participar da INTERCOM NORTE no segundo período é uma enorme satisfação. Com este incentivo à pesquisa (atividades integradas), a faculdade UNIRON poderia desenvolver grupos de pesquisa junto aos docentes e acadêmicos desta IES, com isso, aumentaria a quantidade e qualidade dos trabalhos científicos desenvolvidos no curso de Comunicação Social.”



---
A Agência UCOM deseja muita sorte aos acadêmicos. #arrebentem