sábado, 27 de junho de 2015

Exposição ComunicArte aborda a música como crítica à realidade social brasileira

Por: Alexandre Lúcio Fernandes


Fotos: Agencia UCOM/ Alexandre Fernandes / André Pessoa
O projeto Exposição ComunicArte, idealizado na noite de terça-feira do dia 16 de junho de 2015 na Faculdade Uniron, foi resultado de um trabalho desenvolvido em sala de aula pelos acadêmicos do 3º período de jornalismo, e integrou arte musical, comunicação, crítica e compreensão da realidade social brasileira.

A exposição contou com o uso de painéis que apresentavam a análise de músicas brasileiras consagradas da década de 1990, por meio de pinturas e desenhos produzidos pelos estudantes de jornalismo. Músicas da Legião Urbana, Elis Regina, Cazuza e dentre outros cantores que marcaram época, foram retratadas nas peças, que foram expostas no hall de entrada do Bloco E do Campus I da Faculdade Uniron. O evento contou ainda com música ao vivo, declamação poética e intervenção artística, que abordaram a crítica social compreendida nas canções.

Tendo como tema: “Reflexões, cultura e realidade sociais na MPB”, o trabalho, realizado por meio da disciplina de Realidade Socioeconômica e Política Brasileira, teve a finalidade de estudar a música como elemento de comunicação e disseminadora de ideias. O objetivo foi estimular o senso crítico dos alunos e demonstrar que, através das composições de letras de músicas, é possível captar o contexto da realidade social brasileira.
Prof. Emanuel

De acordo com o professor Emanuel Jadir, orientador e coordenador do projeto, o tema foi escolhido pelo fato da música exercer uma função importante na compreensão da história e formação sociocultural do Brasil. “A música é um elemento socializador que muitas vezes contribui para o processo de interação entre as pessoas e, de certa maneira, ajuda a memorizar os aspectos vivenciados de uma cultura ou povo, além de transparecer a compreensão da formação social, cultural e política”, disse o professor.

Para Janaína Mendes, acadêmica do 3º período de jornalismo, as músicas que marcaram a década de 1990 não perderam seu valor para a sociedade, porque os problemas sociais abordados nas músicas ainda servem como reflexão para os dias atuais, e concluiu ressaltando o quanto foi bom se envolver em um projeto cultural desse gênero. “Como aluna, fico muito feliz em participar de um projeto que serviu para nos mostrar que podemos usar a arte para nos manifestar, e que nos dias atuais, ganha maior importância”, concluiu Janaína.


A acadêmica Jhenifer Núbia ressaltou o talento e o desempenho da turma como fatores que contribuíram no sucesso do trabalho: “Para nós foi uma honra, pois mostramos que o trabalho em equipe é nosso forte e que respeitamos o talento individual de cada colega. Para mim foi uma satisfação a oportunidade de fazer a introdução da Exposição como Mestre de Cerimonia, acarretando assim na minha primeira experiência. Gostei muito", finalizou a aluna.
Fotos: Agência UCOM/Alexandre Fernandes
A exposição que ficou aberta para visitação até o dia 25 de junho nos corredores da Faculdade, despertou a curiosidade dos alunos e propôs um novo olhar crítico sobre a realidade social brasileira através da arte. "Desenvolver o projeto ComunicaArte foi uma experiência inovadora para os discentes que puderam se integrar e compreender a relação existente entre arte e crítica, sem contar que puderam planejar todas as etapas de um evento. O mais positivo foi o envolvimento de todos quanto à busca do conhecimento em compreender as realidades sociais pretéritas e as atuais pelas quais o nosso país passa", concluiu Emanuel.


----
Veja mais fotos na nossa página no facebook: Agencia Ucom.

segunda-feira, 15 de junho de 2015

Trabalho de pesquisa do primeiro período de jornalismo é destaque

Por: Alexandre Lúcio Fernandes


Para quem acaba de concluir o ensino regular, e já adentra o universo de uma faculdade, o início de uma vida acadêmica no ensino superior pode ser um pouco turbulenta, repleta de surpresas e grandes desafios. Há diversos elementos que diferenciam bastante o ensino superior do médio, uma delas é o aspecto metodológico. Isso pode assustar qualquer calouro desprevenido. Para tornar a transição mais amena, geralmente os primeiros períodos sempre agregam disciplinas de entrada e teóricas, que se apresentam como base introdutória ao que o curso exigirá nos semestres seguintes.

No curso de jornalismo da Uniron, uma das matérias do primeiro período atende pelo nome de Sistemas de Comunicação Brasileira, que aborda de maneira geral um pouco sobre o surgimento e a história dos meios de comunicação de massa, em um contexto geral e nacional. A justificativa dessa matéria se dá pela necessidade dos futuros jornalistas terem acesso a essa carga histórica envolvendo a comunicação, bem como sua origem e evolução de cada meio. O intuito é gerar o senso crítico, uma base que prepare o acadêmico para atuar no mercado, entendendo a dinâmica e o processo que existe nos modos de comunicação da sociedade.

Sob esses aspectos, os acadêmicos do primeiro período de jornalismo foram desafiados com o primeiro trabalho de pesquisa no âmbito da faculdade. Sob a orientação da professora esp. Giseli Stempniak, os acadêmicos pesquisaram os veículos da “grande imprensa”, originadas com as transformações dos periódicos impressos no século XX. Segundo a professora Giseli, este período marcou o surgimento da imprensa de grande tiragem, época em que o jornalismo ganhava um caráter muito mais profissional, e consequentemente de diversas inovações que permitiram o aparecimento de veículos de comunicação conhecidos até hoje, como O Globo, Veja, O Estadão, Jornal do Commercio, dentre outros.

A turma foi dividida em seis grupos, e cada um foi designado a estudar a trajetória de um dos veículos, e elaborar um painel explicativo em papel madeira, com informações e fotos sobre sua história. “A ideia foi levar os alunos à pesquisa, entender desde a origem até os dias atuais, suas dificuldades iniciais, sua contribuição histórica para o Brasil e sua abrangente atuação nos nossos dias”, apontou a professora. “Além de conhecer cada um dos veículos, um dos objetivos do trabalho foi despertar o interesse pela leitura diária desses veículos.”

Trabalhos de pesquisa, e em grupo, ganham importância, por estimularem a integração dos acadêmicos e o estreitamento dele com os conceitos que dão base à sua formação. São metodologias de ensino que ensinam o acadêmico a conhecer mais sobre sua futura profissão. Soa fundamental para um futuro jornalista ficar íntimo da história e dos fatos que nortearam o surgimento e a evolução dos meios de comunicação. Este conhecimento base, para alguém que se tornará comunicador, uma voz para a sociedade, é notoriamente essencial. Nesse sentido, este trabalho, como iniciação científica para os acadêmicos do primeiro período de jornalismo se justifica, cumprindo o objetivo da matéria e do curso. Além de ganhar destaque por ser, a temática, uma proposta inicial interessante para quem se formará jornalista.

“Esse trabalho foi o primeiro que a turma realizou e apresentou em grupo, na faculdade. De um modo geral, a turma cumpriu a proposta e se saiu muito bem nas apresentações”, concluiu a professora.

Boa a iniciativa da professora. E parabéns aos alunos do primeiro período de jornalismo. Bom saber que estão afiado e com energia de sobra para aprender. Vejam as fotos dos painéis :







quinta-feira, 4 de junho de 2015

Entrevista com Edilene Mafra, coordenadora do 14º Intercom Norte

Por: Alexandre Lúcio Fernandes

Entre os dias 28 e 30 de maio, aconteceu em Manaus o XIV Congresso de Ciências da Comunicação na Região Norte – Intercom Norte 2015. Com o tema "Comunicação, Cultura e Cidade Espetáculo", a programação teve palestras, oficinas, atrações culturais, entre outras atividades. O Congresso foi realizado nas unidades do Centro Universitário do Norte - UNINORTE, situado no Centro de Manaus.

O evento foi coordenado pela Profª Edilene Mafra, que concedeu uma entrevista para a UCOM e falou um pouco de sua experiência na comunicação e o desafio que foi realizar um evento deste porte do Intercom.

Abaixo um currículo resumido da Professora:
Doutoranda do Programa de Pós-Graduação em Sociedade e Cultura na Amazônia (PPGSCA/Ufam), é mestre em Ciências da Comunicação pela Universidade Federal do Amazonas (PPGCCOM/Ufam). Estudou no curso de especialização em Jornalismo Científico pela Fiocruz da Amazônia e possui graduação em Comunicação Social e especialização em Comunicação Empresarial e Marketing pelo Centro Universitário do Norte (Uninorte/Laureate). Professora de ensino superior e coordenadora dos Cursos de Radialismo e Publicidade e Propaganda do Uninorte/Laureate, é pesquisadora do GP em Rádio e Mídia Sonora e do GP Geração Intercom, ambos da Sociedade Brasileira de Ciências da Comunicação (Intercom).

-----

Confira a entrevista:

Agencia UCOM: Olá Sra. Edilene, tudo bem? Há quanto tempo você trabalha na área da comunicação e da pesquisa? Qual a maior recompensa?
Edilene Mafra: Eu sou profissional de mercado há mais de 16 anos e atuo na docência há 15 anos. Tive contato com a pesquisa científica quando fui repórter especializada em C,T&I. Depois, fiz mestrado e agora faço doutorado. Eu amo ser pesquisadora. Amo orientar meus alunos em pesquisas. Penso que a maior recompensa é contribuir com novas descobertas e com a divulgação da realidade da Amazônia.

UCOM: E quais seriam as principais qualidades de um bom comunicador?
Edilene: Um comunicador deve ser um guerreiro incansável. Deve buscar sempre o melhor. Deve ter profissionalismo, ética e buscar atuar de forma inovadora. Penso que a paixão pelo que fazemos é o que nos motiva e nos faz vencer os desafios. Eu sou uma apaixonada incansável. Amo a minha profissão e me apaixono cada vez mais, a cada novo projeto que realizo.

UCOM: Realizar um evento do porte do Intercom Norte exige muito empenho e dedicação, porque os desafios são muitos. Quanto a isso, qual foi a maior dificuldade encontrada ao realizá-lo?
Edilene: A maior dificuldade foi ter que coordenar pessoas muito diferentes, com pensamentos e ideologias diferentes. O maior desafio? Fazer com que todos trabalhassem juntos dando o seu melhor acima de qualquer interesse, em prol da pesquisa em comunicação na região. Trabalhamos de forma sistematizada. Tive a sorte de ter grandes profissionais e alunos excepcionalmente dedicados. Foi o máximo! Conseguir patrocínios, doações, apoio, treinar pessoas, organizar detalhes, mobilizar a imprensa.... tudo foi possível porque todos contribuíram de acordo com suas áreas de atuação.


UCOM – Conte-nos como foi a experiência de sediar um evento como o Intercom Norte? E que legado ele deixará na Uninorte Laureate, para os docentes e discentes da instituição?
Edilene: A experiência foi maravilhosa! Agora, fica uma nostalgia e a sensação de dever cumprido. O legado que deixa é o desejo de superação de nossos alunos e professores, que passaram a querer participar de forma ainda mais atuantes no futuro. Realizar um Intercom fortifica toda a equipe e nos faz refletir sobre os caminhos que queremos seguir.

UCOM – Se futuramente houver um Intercom Norte em Rondônia, você consideraria participar? Já conhece o Estado?
Edilene: Já estive em Rondônia e ameeeei! Estive no Intercom Norte 2009. Minha missão é com a minha área de pesquisa e com a minha região, irei para onde for preciso e para onde precisarem de mim. Ir para Porto Velho para participar de um Intercom Norte foi uma das minhas melhores experiências.

Edilene visitando Rondônia no Intercom 2009 em Porto Velho

UCOM – Por fim, pedimos que nos deixe uma mensagem de apoio e incentivo para os acadêmicos que estão iniciando na área da pesquisa e pretendem levar seus trabalhos para congressos acadêmicos.
Edilene: Participar dos congressos da Intercom nos deixa mais conscientes sobre o nosso papel como comunicólogos e como pesquisadores, independente de que nível de formação nos encontramos. Nos permite atuar em decisões importantes sobre a nossa área e fazer parte de acontecimentos que marcam a história. E acima de tudo, nós podemos contribuir com o desenvolvimento da nossa região por meio da pesquisa científica em comunicação. Como dizem os meus alunos: eu "super recomendo"!

UCOM: Em nome da UNIRON, A UCOM quer agradecer a agradável receptividade que a UNINORTE preparou para todos, sobretudo aos nossos acadêmicos. Esperamos recebê-la, juntamente com seus alunos, aqui em Rondônia com o dobro do carinho. Nossos mais sinceros agradecimentos. Abraços!
Edilene: Foi uma enorme satisfação recebê-los! Pena que a correria da organização não nos permitiu uma maior aproximação. Desejo muito sucesso para vocês e espero que possamos nos encontrar em breve, no nacional. Quem sabe podemos trocar ideias e nos unir para pensar estratégias e fazer parcerias em prol da nossa região. Grande abraço e saudações... de azul e vermelho! (Rsrsrs)


Uma parte do nosso corpo de alunos, junto à Profª Maria Ângela, sendo recepcionados pela Edilene (centro).




quarta-feira, 3 de junho de 2015

UNIRON participa do 14º INTERCOM Norte, recebe três prêmios e indicações para a fase nacional do INTERCOM

     


     Aconteceu no período de 28 a 30 de maio em Manaus o XIV Intercom Norte. Com o tema "Comunicação, Cultura e Cidade Espetáculo", a programação teve palestras, oficinas, atrações culturais, entre outras atividades. O Congresso foi realizado nas unidades do Centro Universitário do Norte - UNINORTE, situado no Centro de Manaus.
    A Sociedade Brasileira de Estudos Interdisciplinares da Comunicação realiza anualmente congressos regionais e o nacional com o intuito de fomentar a troca de conhecimento entre pesquisadores e profissionais atuantes no mercado. A entidade estimula o desenvolvimento de produção científica não apenas entre mestres e doutores, como também entre alunos e recém-graduados em Comunicação, oferecendo prêmios como forma de reconhecimento aos que se destacam nos eventos promovidos pela entidade. As categorias de apresentação de trabalhos no Intercom são: Expocom, Intercom Júnior e Divisões Temáticas.
- Expocom (Exposição de Pesquisa Experimental em Comunicação) - é uma exposição e um prêmio destinados aos melhores trabalhos experimentais exclusivamente produzidos por alunos no âmbito da área de Comunicação. O caminho é longo para chegar a participar da fase nacional. Os trabalhos passam por avaliações internas e regionais. No caso da UNIRON, os trabalhos passam pelo Mata-Mata, os melhores são indicados para participar da fase regional.
- Intercom Júnior - é um espaço acadêmico criado para acolher trabalhos de estudantes de graduação em comunicação e, também, de recém-graduados (até 1 ano após a conclusão do curso). Os trabalhos enviados são analisados e são apresentados de acordo com as categorias de trabalhos.
- Grupos de Pesquisa/Divisões Temáticas - Os Grupos de Pesquisa (GPs) são uma instituição da Intercom, resultantes da reestruturação dos Grupos de Trabalho (GTs), realizada no ano 2000, e da criação das Divisões Temáticas (DTs), realizada em 2008, com a finalidade de reunir pesquisadores interessados em temáticas dotadas de legitimação acadêmico-profissional ou que representam objetos demandando elucidação teórico-metodológica, visando estabelecer o diálogo e fomentar a pesquisa, contribuindo para troca efetiva de conhecimentos e para a evolução do campo da comunicação no Brasil.

A UNIRON através dos acadêmicos de Publicidade e Propaganda participou do Intercom Norte 2015 nas categorias:
·        Expocom com 5 trabalhos dos acadêmicos do 4º e 7º Período:
  • Campanha Publicitária - “A Felicidade Está No Sangue De Quem Doa.” Matheus OLIVEIRA; Ana MATOS; Ana COSTA; Carina TAINÁ; Cassiano HALEY; Collien NÉRY; Cristiane SOLIZ; Elisandra FREITAS; Fernanda AMARAL; Henrique MORENO; Humberto BANCHIERI; Júlio SERGIO; Luis GIROTTO; Marcela JOHNSON; Mohana DÉA; Paulo LISBOA; Samila XIMENDES; Tiago MACHADO; Maria Angela de Lima DUMMEL; Andrews BOTELHO
  • Pesquisa Mercadológica - A Importância da Pesquisa para o posicionamento de uma Marca. Ana Caroline MATOS; Ana Luiza M. COSTA; Collien RODRIGO; Elisandra FREITAS; Iury MELO; Isabel CRISTINA; Leiane CÂMARA; Matheus OLIVEIRA; Tiago MACHADO; Andrews BOTELHO; Maria Ângela de Lima DUMMEL
  • Filme Publicitário - #conecte-se à vida. Greicieli GONÇALVES;  Waldiney BRAGA; Tharso PINTO; Adriano DOS SANTOS; Daniele VERA; Kimberlly MACÊDO; Bruno MAGALHÃES; João Paulo MATOS; Adriana CORDENONSI; Mauro POMPEU;
  • Outdoor “A Felicidade Está No Sangue De Quem Doa”. Collien NÉRY; Ana MATOS; Ana COSTA; Carina TAINÁ; Cassiano HALEY; Cristiane SOLIZ; Elisandra FREITAS; Fernanda AMARAL; Henrique MORENO; Humberto BANCHIERI; Júlio SERGIO; Luis GIROTTO; Marcela JOHNSON; Matheus OLIVEIRA; Mohana DÉA; Paulo LISBOA; Samila XIMENDES; Tiago MACHADO; Maria Angela de Lima DUMMEL; Andrews Regis BOTELHO.
  • Programa Laboratorial de Áudio - Dicas cacheadas de tayó: o uso do rádio para posicionamento da marca. Ana Luiza M. COSTA; Ana Caroline MATOS; Collien RODRIGO; Elisandra FREITAS; Iury MELO; Isabel CRISTINA; Leiane CÂMARA, Matheus OLIVEIRA; Tiago MACHADO; Samila XIMENDES; Francivan SOUZA; Maria Angela de Lima DUMMEL.

     Intercom Júnior (IJ) com 2 artigos dos acadêmicos do 2º Período:
  • Estudos Interdisciplinares da Comunicação - A Sujeira Eleitoral nos Espaços Públicos: Uma Reflexão Sobre a Distribuição Imprópria do Material de Campanha. Alexandre Lúcio FERNANDES; Giseli Aline STEMPNIAK.
  • Estudos Interdisciplinares da Comunicação - A Presença da Mulher em Campanhas Presidenciais no Brasil. Juliana Nunes de OLIVEIRA; Giseli Aline STEMPNIAK.

      Divisão Temática (DT) com um artigo:
  • Publicidade e Propaganda - Aids, Jovens e Propaganda “#partiuteste”: incoerência no discurso Governamental. Maria Ângela de Lima DUMMEL

Destes trabalhos, 3 foram classificados para o Expocom fase nacional:
  • Outdoor “A Felicidade Está No Sangue De Quem Doa”. Collien NÉRY; Ana MATOS; Ana COSTA; Carina TAINÁ; Cassiano HALEY; Cristiane SOLIZ; Elisandra FREITAS; Fernanda AMARAL; Henrique MORENO; Humberto BANCHIERI; Júlio SERGIO; Luis GIROTTO; Marcela JOHNSON; Matheus OLIVEIRA; Mohana DÉA; Paulo LISBOA; Samila XIMENDES; Tiago MACHADO; Maria Angela de Lima DUMMEL; Andrews Regis BOTELHO.
  • Pesquisa Mercadológica - A Importância da Pesquisa para o posicionamento de uma Marca. Ana Caroline MATOS; Ana Luiza M. COSTA; Collien RODRIGO; Elisandra FREITAS; Iury MELO; Isabel CRISTINA; Leiane CÂMARA; Matheus OLIVEIRA; Tiago MACHADO; Andrews BOTELHO; Maria Ângela de Lima DUMMEL.
  • Programa Laboratorial de Áudio - Dicas cacheadas de tayó: o uso do rádio para posicionamento da marca. Ana Luiza M. COSTA; Ana Caroline MATOS; Collien RODRIGO; Elisandra FREITAS; Iury MELO; Isabel CRISTINA; Leiane CÂMARA, Matheus OLIVEIRA; Tiago MACHADO; Samila XIMENDES; Francivan SOUZA; Maria Ângela de Lima DUMMEL.

      A participação pela primeira vez de alguns acadêmicos no Congresso rendeu muita ansiedade antes das apresentações e experiências. Reunimos depoimentos de alguns dos representantes no Intercom Norte:

Collien Rodrigo:  “Saber que vencemos é uma mistura de euforia e alívio, tanto por representar nossa faculdade e nosso Estado, quanto por saber que enfim todo nosso esforço valeu a pena” (Acadêmico do 7º Período de Publicidade e Propaganda).

Ana Caroline Matos: “O trabalho Tayó foi tratado como um verdadeiro filho, abraçamos a causa e nos apaixonamos por ele. Foi o trabalho que eu, particularmente, mais me dediquei. Quando você se dedica ao que faz, não tem como ser diferente, modéstia à parte, o trabalho ficou incrível e a prova disso foram os dois prêmios no Intercom Norte. Gostaria de convidar todos os alunos de Comunicação a viver essa experiência indescritível. Se dediquem aos trabalhos para que eles possam ser premiados também” (Acadêmica do 7º Período de Publicidade e Propaganda).

Marcela Alves: “No ano passado, exatamente no mês de maio, estávamos totalmente focados em fazer esta campanha (A felicidade está no sangue de quem doa) acontecer. É isso mesmo, tive a oportunidade de dirigir e percorrer todos os caminhos necessários até que a mesma chegasse ao seu público alvo. Quando digo "público alvo" é em função de que este era um desafio proposto pela disciplina de matérias integradas, o qual tínhamos como obrigação apenas construir a campanha e passar para Fhemeron com intuito de que eles dessem publicidade, pois devido ao custo os alunos não eram obrigados a submeter - se a isso. No entanto, tendo em vista que a nossa turma é composta por pessoas totalmente visionárias, fomos muito além do que nos foi proposto. Além, pois tivemos o prazer de ver o nosso trabalho não apenas na TV, rádio, outdoor, mídias sociais, ações de rua, carreata, e por final ter a cantora Ivete Sangalo falando da nossa campanha para mais de dez mil pessoas e convidando-as para doar sangue. Isso tudo trouxe sim um quê de satisfação, mas o maior o prazer foi ouvir da Coordenadora do Hemocentro, Maria Luísa, que a campanha estava trazendo retornos, pois os números de doações aumentaram significantemente. Isso sim sem dúvida, foi a maior realização o qual nos leva utilizar o termo na íntegra "sensação de dever cumprido". Como dar para perceber, foram muitas ações, as quais não seriam possíveis sem que tivéssemos alunos comprometidos não apenas em cumprir este trabalho em função de uma nota dez, e sim que tomasse posse da causa, salvar vidas. Por isso eu digo, esse prêmio não é meu, nem seu, é nosso!!!” (Acadêmica do 5º Período de Publicidade e Propaganda).

Ana Luiza Moreira: "Bom, eu fui representante do trabalho "Dicas Cacheadas da Tayó: O uso do Rádio para o Posicionamento da Marca". O trabalho foi produzido no ano passado por mim e mais 7 pessoas, quando estávamos no 6º período. Para mim, o Intercom foi uma surpresa desde o início. eu já ia, mas não pensava em levar nenhum trabalho. Porém recebi um e-mail da coordenadora do trabalho, dizendo que havia indicado meu nome e o material para a Intercom e que eu tinha uma semana para produzir o paper. Foi uma correria! hasuhasuhasu mas no fim deu tudo certo. Sobre o Intercom Norte 2015, a experiência foi muito válida, com ou sem prêmio. Só o fato de estar em uma cidade como Manaus, reunido com estudantes de comunicação de diversos locais do Norte, discutindo e aprendendo mais sobre o ramo, já era experiência suficiente. Mas não paramos por aí.....Eu só tenho a agradecer o apoio dos colegas de faculdade, da coordenação do curso e principalmente da Tayó, por ter confiado no nosso trabalho  e permitido o uso da marca. (Acadêmica do 7º Período de Publicidade e Propaganda).

Alexandre Lúcio Fernandes: "Estar presente no Intercom Norte 2015, em Manaus, foi uma experiência muito gratificante. Apresentar um artigo em um congresso acadêmico e contribuir com pesquisa em âmbito científico, agrega e enriquece bastante o conhecimento. Interagir com outros acadêmicos, professores e profissionais da área, e debatendo sobre os assuntos pertinentes à área da comunicação, foi uma oportunidade que me propiciou aprendizado e um imenso leque de ideias a serem trabalhadas futuramente. Eu voltei renovado, com a mente aberta para novos desafios como esse, que tenho certeza, foi apenas o primeiro de muitos" (Acadêmico do 2º Período de Publicidade e Propaganda).

Maria Ângela de Lima Dummel “O resultado do Expocom mais uma vez indica que o curso de Publicidade e Propaganda da Uniron está no caminho certo ao estimular a integração das disciplinas em trabalhos práticos e desenvolvimento de pesquisas científicas. Nossa participação no Intercom Manaus reafirmou a certeza de que independentemente dos prêmios, os alunos do curso de Publicidade e Propaganda do primeiro ao sétimo período, estão aptos a compartilhares seus estudos tanto regional quanto nacionalmente. Me sinto orgulhosa de todos que se propuseram a fazer isso em Manaus, e o fizeram tão bem” (Coordenadora do Curso de Publicidade e Propaganda e Congressista). 
     Os acadêmicos de Comunicação Social da UNIRON chegaram em Manaus para apresentar cinco trabalhos, voltaram para Porto Velho com três prêmios e indicações para participar do Intercom Nacional que será realizado no Rio de Janeiro - RJ, de 6 a 8 de setembro. De acordo com a organização, a UNIRON foi a sétima Faculdade que mais enviou trabalhos (5) e ficou em terceiro lugar na premiação geral (3). Em 2016, o Intercom Norte será em Boa Vista - Roraima.

Abaixo seguem algumas imagens da participação no Congresso: